O legado de Ito Seiu para o Kinbaku/Shibari

89ea42fb10d0a9d14d0e944a10d774d6Na história documentada sobre o Kinbaku, existiu a presença de um ilustre artista que muito contribuiu na criação de uma base sólida para que a escravidão com cordas pudesse galgar o posto de arte: Ito Hajime (1882-1961).

Filho de um escultor, criado em um bairro operário de Tóquio, aos 10 anos de idade viu um drama kabuki cujo enredo da peça apresentava uma heroína samurai, que lhe despertou o interesse por mulheres em perigo.

Aos 13 anos adotou o nome Seiu (em kanji, algo como “chuva clara”). A partir de 1908 Seiu Ito inicia seus estudos sobre o Hojojutsu. Aos 34 anos começa a pintar e desenhar ‘e-Seme’ (fotos de tortura).

Em 1919 Ito contratou uma jovem modelo chamada Sahara Kise, que pouco tempo depois veio a torna-se sua esposa. Ela modelou para suas experiências (fotos e gravuras), em sessões que duravam até 3 horas.

images (1)Ito foi um pintor e artista japonês que tinha grande interesse sobre as formas de sexualidade oriundas da escravidão com cordas, e durante essa sua trajetória como artista, ganhou reconhecimento elevando o Shibari/Kinbaku a uma forma de arte, sendo destaque em revistas e jornais japoneses da época.

Em 1930 quase foi à falência devido a uma rigorosa censura imposta pelo governo japonês sobre esse tipo de arte. Em 1944 (II Guerra Mundial) perdeu a maioria de seus trabalhos com a invasão norte-americana. Mas como todo artista, Ito nunca parou e se reinventou. Aos 63 anos de idade, 1945 (pós-guerra), tirou partido da liberalização política e demonstrando uma energia revigorada, produziu uma grande quantidade de fotos, gravuras, livros de bolsos, cartões postais, tendo trabalhos que variaram do moderadamente sexual ao bizarro.

Em 1977 (16 anos após sua morte), o diretor Noburo Tanaka o homenageou com um filme que retratou sua vida: Beauty´s Exotic Dance: Torture! (a figura abaixo a esquerda é a capa deste filme).

Beauty's_Exotic_Dance_Torture!Ito Seiu é comumente reconhecido como o pai do Shibari/Kinbaku modernos, não por tê-los inventado: mas por coloca-los na categoria de arte numa época de recursos escassos.

“O único reconhecimento que já recebi por ter estudado escravidão com cordas desde 1908, foi o título de pervertido”. Essa frase foi dita por Ito numa entrevista para uma revista japonesa em 1953. Homem forte, dedicado, incansável e sempre seguindo seus objetivos, Ito além de muitas fotos e desenhos de Kinbaku/Shibari, também produziu muitas gravuras da tortura judicial do Japão – baseadas em registros históricos – além de outras fundamentadas em lendas e mitos de mulheres em perigo – fato que o fascinou até a data de sua morte.

 

Abaixo alguns trabalhos realizados por Ito Seiu.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *